Limpa Fossa BH

Olá procurando por uma Limpa Fossa BH encontrou o lugar certo, nosso Portal Achei em BH vai lhe ajudar a encontrar a empresa que você procura. Vamos lhe apresentar a empresa Limpa Fossa BH que vai lhe atender as suas necessidades. Nosso Portal Achei em BH não e responsável pelos orçamentos e serviços oferecidos pela empresa Limpa Fossa BH que aqui esta anunciando. Conheça a empresa Limpa Fossa BH abaixo.

Você tem uma Limpa Fossa BH ? Anuncie nesse espaço !

Limpa Fossa BH

 

Dicas

Qual a frequência preciso contratar a empresa Limpa Fossa BH ?

As fossas sépticas possuem diferentes tempos de limpeza que são determinados pelo tamanho da fossa e pelo volume de dejeto que ela terá que comportar. Dependendo do tamanho da fossa e do volume de água despejada nela o tempo de limpeza pode mudar drasticamente.

Mas como regra geral é recomendado que as fossas sejam esvaziadas em um período trienal, ou seja de 3 em 3 anos para evitar problemas. Se o volume de água for muito grande é melhor realizar a limpeza uma vez por ano.

Muitas vezes as pessoas deixam para chamar o serviço de limpa fossa quando a situação já ficou bem ruim. Mas o certo é chamar no período correto para evitar problemas.

Como saber se a fossa está com problemas

Como nos encanamentos comuns, quando dá problema logo a gente percebe, afinal é sempre um grande incomodo.

Nas fossas sépticas os principais sintomas de problemas são:

  • Ralos ou o vaso sanitário apresentam um mau cheiro;
  • Ao acionar a descarga ela começa a borbulhar;
  • A tampa da caixa de gordura ou da fossa apresentam infiltrações;
  • Drenagem da água em ralos e no vaso lenta.

Ao apresentar qualquer um desses sintomas é necessário entrar em contato com uma empresa de limpa fossa séria e responsável para avaliar a situação.

Prevenções e cuidados com a fossa séptica

A limpeza de fossas não é nada fácil e é altamente recomendável que ela seja feita apenas por profissionais, nossa equipe Limpa Fossa BH e especializada no assunto.

Não só para proteger a saúde do morador, mas também proteger o ambiente e evitar quebrar alguma lei. Já que algumas cidades e estados possuem leis sobre a limpeza de fossas.

Com isso em mente, é importante saber como cuidar da sua fossa e quais as ações devem ser tomadas para evitar problemas com o funcionamento dela.

As principais ações de prevenção são:

  • Limpeza realizada de forma regular e em intervalos entre 1 a 3 anos, dependendo de fatores como o tamanho do reservatório, quantidade de pessoas ou famílias que usam a fossa e o fluxo de água que ele recebe;
  • Não deixar objetos pesados em cima da tampa da fossa, ou pode haver quebra da mesma;
  • Não abrir chamas próximo a fossa. Fossas sépticas podem causar vazamento de gases e eles são altamente inflamáveis;
  • Não ligue a pia da cozinha com a fossa. Produtos de limpeza da cozinha possuem químicos que podem matar as bactérias responsáveis por fazer a fossa funcionar de forma correta;
  • Não deixe plantas de raízes fundas próximos a fossa. Essas raízes podem romper a câmara e causar um problemão;
  • Quando houver o entupimento de canos ou da própria fossa, evite usar água quente ou soda cáustica para resolver o problema, além de ser um risco para a sua saúde também pode danificar a fossa.

 

Curiosidades

A invenção do desentupidor

As fossas sépticas ou séticas são unidades de tratamento primário de esgoto doméstico nas quais são feitas a separação e a transformação físico-química da matéria sólida contida no esgoto. É uma maneira simples e barata de disposição dos esgotos indicada, sobretudo, para a zona rural ou residências isoladas. Todavia, o tratamento não é completo como numa estação de tratamento de esgotos.

O esgoto in natura deve ser lançado em um tanque ou em uma fossa para que com o menor fluxo da água, a parte sólida possa se depositar, liberando a parte líquida. Uma vez feito isso bactérias anaeróbias agem sobre a parte sólida do esgoto decompondo-o. Esta decomposição é importante pois torna o esgoto residual com menor quantidade de matéria orgânica pois a fossa remove cerca de 40 % da demanda biológica de oxigênio e o mesmo agora pode ser lançado de volta à natureza, com menor prejuízo à mesma.

Devido a possibilidade da presença de organismos patogênicos, a parte sólida deve ser retirada, através de um caminhão limpa-fossas e transportada para um aterro sanitário nas zonas urbanas e enterrada na zonas rurais.

Numa fossa séptica não ocorre a decomposição aeróbia e somente ocorre a decomposição anaeróbia devido a ausência quase total de oxigênio.

No tratamento primário de esgoto doméstico, sobretudo nas zonas rurais, podem ser utilizadas as fossas sépticas que são unidades nas quais são feitas a separação e transformação da matéria sólida contida no esgoto.

As fossas sépticas são uma estrutura complementar e necessária às moradias, sendo fundamentais no combate a doenças, verminoses e endemias (como a cólera), pois diminuem o lançamentos dos dejetos humanos diretamente em rios, lagos, nascente ou mesmo na superfície do solo. O seu uso é essencial para a melhoria das condições de higiene das populações rurais e de localidades não servidas por redes de coleta pública de esgotos.

Esse tipo de fossa consiste em um tanque enterrado, que recebe os esgotos (dejetos e água servidas), retém a parte sólida e inicia o processo biológico de purificação da parte líquida (efluente). Mas é preciso que esses efluentes sejam filtrados no solo para completar o processo biológico de purificação e eliminar o risco de contaminação.

As fossas sépticas não devem ficar muito perto das moradias (para evitar mau cheiros) nem muito longe (para evitar tubulações muito longas). A distância recomendada é de cerca de 4 metros.

Elas devem ser construídas do lado do banheiro, para evitar curvas nas canalizações. Também devem ficar num nível mais baixo do terreno e longe de poços, cisternas ou de qualquer outra fonte de captação de água (no mínimo trinta metros de distância), para evitar contaminações, no caso de eventual vazamento.

O tamanho da fossa séptica depende do número de pessoas da moradia. Ela é dimensionada em função de um consumo médio de 200 litros de água por pessoa, por dia. Porém sua capacidade nunca deve ser inferior a mil litros. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), através das normas NBR 7229 e 13969, estabelece todos os parâmetros que devem ser obedecidos para a construção de fossas sépticas.

 

Portal Achei em BH